sex geschichten - sex geschichten - sex stories - sex stories - xnxx - xnxx - xnxx - xnxx - porno - xhamster - xhamster - hd porno - hd sex - xvideos - xvideos - sex videos - xvideos - brazzers - sex geschichten - pornhub - redtube - sex geschichten - sex stories - xhamster - xnxx - xvideos - youporn - brazzers - brazzers - porno - porno - brazzers - youporn - brazzers - hd porno - xhamster - xnxx - xvideos - youporn - porno - xhamster - xnxx - xnxx - xnxx - xnxx - xvideos - youporn

Proposta de reforma da Previdência é insuficiente para arrumar as contas do país, diz Alvaro Dias

O senador Alvaro Dias afirmou, esta quarta-feira (24/04), em discurso na tribuna do Senado, que a proposta de reforma da Previdência, atualmente em discussão no Congresso Nacional, é insuficiente para arrumar as contas públicas do país. “Há aqueles que querem uma reforma para o governo, com o objetivo de tapar os buracos abertos nas contas públicas pela própria incompetência. Não é o que desejamos”, disse o parlamentar.

O líder do Podemos no Senado manifestou que se dispõe a apoiar uma reforma da Previdência “inteligente” que “possa atender o interesse nacional”. Porém, ressaltou não concordar “com essa falácia de que a reforma da Previdência é o próximo milagre capaz de salvar o país dos seus problemas”. Ele assinalou que o rombo da Previdência não leva em conta a adoção de políticas equivocadas, que distorcem o cálculo do déficit.

Alvaro Dias lembrou que, em 2016, o déficit da Previdência foi de R$ 280 bilhões. Mas pontuou que, se desse valor fossem abatidos os R$ 144 bilhões das desonerações concedidas pelo governo e os R$ 92 bilhões da Desvinculação de Receitas da União (DRU), o déficit da Previdência naquele ano seria de menos de R$ 50 bilhões.

“É uma falácia quando se advoga a tese de que o rombo é enorme. Ocorre que os governos não adotam políticas competentes para um ajuste fiscal consequente, que exige, certamente, também uma reforma tributária inteligente, no modelo novo e progressivo, que possa tributar mais no consumo do que na renda. Essas reformas de grande profundidade não são realizadas pelos governos”, destacou o senador pelo Paraná.

Compartilhe esse post nas redes sociais!

Veja Também